TRATAMENTO

A dependência química é uma doença que afeta fisicamente, emocionalmente e espiritualmente a vida do indivíduo, causando a desestruturação social, familiar, no ambiente de trabalho, escola ou qualquer outro local da qual o usuário faça parte, afetando diretamente todos que estão ao seu redor.
O tratamento é bastante simples, na verdade, desde que o paciente já tenha se conscientizado de sua doença e realmente esteja disposto a entrar em recuperação - apesar das dificuldades envolvidas. 
Para que fique bem claro, simples no entanto, não quer dizer fácil e o paciente precisa estar disposto a enfrentar o problema.
Nossas unidades oferecem um tratamento terapêutico consolidado nos mais eficazes estudos relacionados à dependência química. Isso quer dizer que em vez de submeter o paciente a trabalhos laborais ou outras práticas que pouco ajudam na recuperação, a Clínica trata o indivíduo a partir das causas psíquicas e sociais que o levaram a dependência de drogas.

Programação de tratamento:

Minnesota (12 passos de narcóticos anônimos e alcoólatras anônimos ) + TRE + PPR +Terapia cognitiva projeto de vida , entre outras + e aulas de Educação física semanais
TRE – Terapia Racional Emotiva:
São reuniões semanais que ensinam o dependente a como lidar com os sentimentos. Estudamos: a raiva, a vergonha, rei bebê, o luto, o pensamento destrutivo entre outros temas. Estes estudos são muito importantes na recuperação.
P.P.R – Programa de prevenção a recaída:
Essa reunião é muito importante, mostramos para os residentes algumas ferramentas que devem ser utilizadas após o período de internação. São os “EVITES e os PROCURES”. 
Ex: PROCURE um hobby, ir a sala de anônimos, uma religião, novas amizades, etc. EVITE velhos amigos, velhos hábitos, velhas ideias, etc.
O paciente , além de todo o trabalho terapêutico, também conta com acompanhamento psicológico e psiquiátrico.
O tratamento oferecido ao paciente voluntário e o involuntário são praticamente o mesmo, com o diferencial de que, o paciente involuntário passa por um período de observação em uma ala de triagem até recuperar a consciência total da situação e entender que precisa de ajuda. 
No caso do tratamento involuntário, ao fazer a remoção contra a vontade do paciente, é necessário que tenha uma pessoa próxima que assuma a responsabilidade pelo mesmo.
Muitas pessoas dizem: ele deve ir só se quiser. Óbvio que muitos pacientes conseguem sim, enxergar o caminho destrutivo tomado em sua vida e pedem ajuda. Porém,  cada vez mais pessoas não conseguem dar conta que ao optarem por experimentar algo novo ou cederem à insistência de amigos, ao se darem conta sua vida já está em total degradação, muitas vezes, com consequências que não permitem mais volta.
O tratamento involuntário existe para ajudar quem de dentro do problema não consegue enxergar sua autodestruição e o mal que está causando em sua família. A retirada dessa pessoa do uso compulsivo de substâncias psicotrópicas, mesmo que contra sua vontade à princípio; pode se tornar um paciente voluntário depois de certo período de tempo. Logo a mente da pessoa vai retornando à sanidade e enfim; ela consegue ver a realidade do mal que estava causando a si próprio.
Esse seria o período de triagem. Logo após ele se inicia nos tratamentos citados acima.